Convida #8

Vitória Bergo: poesia às Caboclas Iaras_

o convida dessa Edição é com Vitória Marques Bergo, mestra em Educação pela UFJF e doutorando em Ciência da Religião na mesma Universidade.

O material foi um dos selecionados na Chamada Aberta sobre “espiritualidades, religiões e religiosidades”.

Poesia às Caboclas Iaras

Rainha dos Tubinambás
Rainha Tupiguarani
Criou laços e irmandades
Criou filhos, filhas de tantos
Tantas outras, tantos outros
Seu coração contém a mata verde
Que caminhou tantas vezes até o mar
Às cachoeiras para adorar, receber, parir
Nutrir junto da mãe terra consigo
No olhar carrega o negro do rio de Nanã
Profundo, antigo, misterioso, silencioso
Fértil, limpo, zeloso, criador.

Cabocla Iara, rainha Tupinambá
Traz suas penas de arara
O seu colar é de conchinha do mar
Já foi sua mãe, sua irmã
Trouxe as mãos de curar